26/05/2018

[Resenha]: Grim Reaper - Jornada da Morte

Olá, leitores compulsivos! A resenha de hoje é mais do que especial para mim, tive a imensa oportunidade de conhecer as escritoras dessa historia e, também, de me aventurar nesta trama com esses personagens. O livro Jornada da Morte é o primeiro de uma trilogia, o segundo o Deus do Caos  esta em pré-venda (adquira aqui).


Autoras: Miss Nick e Bettina Winkler
Páginas: 312
Editora: Young Editorial 
Ano de lançamento:
2016
 

Sinopse: A morte espreita, à nossa espera, e nos chama a cada dia. Ruas sem saída, dimensões inimagináveis... É fácil vivermos sem nos preocupar em olhar o que está além do mundo visível aos olhos e não prestarmos atenção nos seres encapuzados que transitam ao nosso redor. As criaturas andam entre nós e ao morrermos, elas conduzem as nossas almas. Quando caímos no abismo mortal, não há mais como voltar. Ver além do obscuro. Além do celestial. “Porque a vida às vezes pode ser um pesadelo pior do que a própria morte”. 




Opinião: Iniciamos conhecendo a vida de Amy, pelos seus olhos. Nada na sua vida é diferente de uma garota adolescente. Amy passou as férias de verão na casa da sua mãe e na volta embarca em uma balsa, porém a reviravolta na historia ocorre quando é narrado um naufrágio e, assim como todos os outros passageiros, ela morre afogada. Parece assustador a descrição da morte de Amy, porém após poucos dias no hospital, ela acorda sendo a única vitima da tragédia. 😮 Tipo, bem no comecinho da história.


Apesar de tudo parecer muito suspeito, Amy se sente "aliviada" de estar viva, mesmo que sinta que esteve morta. Tudo parece voltar ao normal mesmo depois do acidente, ela volta para a escola e se reencontra com seus amigos: Kay e Josh.
Mas nem tudo é um mar de rosas, logo Amy começa a enxergar coisas, mais precisamente almas de cadáver. Desta forma, a historia começa a se desenrolar e Amy que achava ser uma jovem comum descobre coisas que a torna bem longe do normal.
Paralelo a estes acontecimentos, James - Jem - é um novato na sua escola que causa alvoroço entre todos os estudantes em razão de sua beleza surreal e suas vestimentas fora do comum. Mesmo sempre usando roupas pretas e coturno, chama atenção de Amy e, ela, o seu interesse.


O livro é narrado em primeira pessoa, temos maior contato com os sentimentos de Amy, suas angustias e a cena de sua morte - na minha opinião - foi a melhor descrição durante todo o livro. Os personagens foram bem construídos, apesar de pouco explorados em certos aspectos. Durante o decorrer da historia, conhecemos outros personagens que compõem muito bem o desenvolvimento: Tara e Auguste. Devo deixar bem claro que meu personagem preferido é o Auguste sem sombra de dúvida.
A medida que a historia ocorre é possível ver um mistério que se gera entre os personagens, as autoras criam muito bem a ilusão do suspeito e conseguiram conectar todas as cenas nos final.
Porém, existem pequenos detalhes que devem ser trabalhados. Primeiro a quebra de tempo excessiva que se torna desnecessária e cansativa, segundo as reações dos personagens - não consegui imaginar cenas que foram o auge da historia -, deveria ser trabalhado as expressões dos personagens que os tornam mais reais e, por fim, o desfecho de alguns personagens.
Mas é CLARO, são detalhes imperceptíveis e, também, temos a continuação que promete muita ação e mistério.

Opinião Julia: Grim Reaper foi um dos melhores livros que li em 2017, a capa e principalmente o tema, me chamaram a atenção. A linguagem foi um dos grandes pontos positivos para mim, caracterizando de forma detalhada todos os personagens. As autoras foram criativas, o desenrolar da historia me prendeu do começo ao fim,  não foi cansativo, nem previsível, eu eu amei os personagens. Esperarei ansiosa para o próximo livro.







Classificação:





Nenhum comentário:

Postar um comentário